EDUCAÇÃO SEXUAL AMPLIADA PELA ANTROPOSOFIA

EDUCAÇÃO SEXUAL AMPLIADA PELA ANTROPOSOFIA

Esse artigo tem a intenção de iluminar um pouco mais sobre o mistério da sexualidade humana e convidar a todos a refletirem sobre a importância de uma educação sexual ampliada.
Menciono aqui a palavra ampliada, pois grande parte daquilo que designamos como sexo ou desejo sexual na humanidade não é de origem biológica, mas consiste em energia espiritual. Então se quisermos verdadeiramente criar uma educação sexual, esse aspecto do sexo deve ser considerado.

Considerando a visão da Antroposofia, uma visão que faz muito sentido pra mim, e que me ajuda a compreender os mistérios da vida humana, quando falamos de energia espiritual, falamos também de energia criativa, cuidar desse aspecto da vida de qualquer ser humano, é fortalecer e proteger as novas faculdade criativas- intuitivas que procuram mais que nunca em nossa época, se expressarem, e para isso devemos sim levar em consideração a importância de nos educarmos para uma educação sexual.
Para quem nunca ouviu falar de Antroposofia, deixo aqui uma breve explicação: A ANTROPOSOFIA do grego “conhecimento do ser humano”, introduzida no início do século XX pelo austríaco Rudolf Steiner, é caracterizada como um método de conhecimento da natureza do ser humano e do universo, que amplia o conhecimento obtido pelo método científico convencional, em praticamente todas as áreas da vida humana. 

Para começarmos nossa reflexão, temos que ter em mente, que infelizmente, nossa cultura não valoriza e nem ajuda a fortalecer as faculdades humanas intuitivas e criativas, e a energia do sexo e do amor, é uma energia capaz de vitalizar nossos pensamentos, e quando o pensamento humano é vital, vivo, intuitivo e criativo, prosperam igualmente os aspectos emocionais e volitivos da vida. Ou seja nos tornamos emocionalmente mais equilibrados e volitivamente mais atuantes.

Em base a nossa realidade atual pautada em desequilíbrios emocionais e uma certa paralisia, presente em pessoas desmotivadas com a vida, incluindo nossos jovens e crianças, que não conseguem ser atuantes, livres e criativos em suas atividades. Devemos considerar, que o principal dever de nossa época é dar vida aos pensamentos, despertando assim a saúde emocional e o despertar da vontade humana, e para fazermos isso devemos derramar amor no pensamento, pensando se com mais amor em todos aspectos que envolvem nossa vida, inclusive o sexo.

Devemos deixar morrer a intelectualidade estéril e deixar nascer o pensamento produtivo, intuitivo, e quando falamos em deixar nascer, falamos em vida, falamos em sexo, falamos em energia espiritual. É desse pensar vivo que depende todo o bem estar da humanidade, e isso só poderá ser realizado pelo amor; e a capacidade de amor se relaciona em muitos aspectos com o sexo.

Uma educação sexual em nossos tempos não pode ser somente uma educação voltado para os aspectos biológicos da sexualidade, o objetivo de uma educação sexual ampliada deve servir a esse intuito, ou seja, deve fortalecer, cuidar e proteger as faculdades criativas e intuitivas de nossas crianças e jovens.

Se quisermos atuar no mundo de forma consciente a altura desse energia do amor, que é a energia própria da vida, não devemos aplicar somente conceitos da biologia, psicologia e sociologia no campo do sexo, devemos entender que o sexo está longe de ser uma força somente natural, pois na verdade se trata de uma força espiritual, ou seja uma força metafísica.
Se quisermos pensar em uma educação sexual ampliada, não devemos ensinar os nossos jovens a somente saber usar o sexo em um contexto social, de forma a somente se protegerem ou dele tirarem seu desfrute pessoal, mas devemos SIM, honrar essa energia espiritual que possibilita a vida, agindo assim estaremos realizando uma educação sexual voltada para o bem comum.

Então se quisermos levar a sério essa questão de uma educação sexual ampliada, ao meu ver muito necessária em nossos tempos, por questões que não vou citar nessa reflexão, mas questões extremamente graves que acometem nossas crianças e jovens em relação ao sexo, devemos considerar que em parte o sexo se apresenta como parte do processo biológico da natureza, e que é um ato físico, e dessa forma deve ser tratado com os devidos cuidados, mas devemos também considerar que a maior parte do mesmo é invisível, uma vez que no sexo a realidade metafísica prepondera ao máximo sobre a física. 
Em nenhum outro campo serão tão desastrosas quanto no sexo as consequências decorrentes de uma interpretação, por parte de pais, responsáveis e ou educadores, que não abarque a realidade metafísica e espiritual do sexo.
Materializar o sexo através de uma educação sexual que aborde somente os aspectos físicos e biológicos, é o pior erro possível que podemos cometer.
Abordar o sexo como força criativa, amorosa, intuitiva, misteriosa e bela é o que devemos fazer em nossa época para evitarmos consequências desastrosas e sociais, que infelizmente  já se mostram visíveis.
Uma outra coisa que deve ser aqui pontuada, é que em se tratando de sexo, muitos acham melhor o silêncio, quando, embora, parece que sentindo e percebendo a sacralidade do sexo, estas pessoas não se sentem capazes de abordar esse mistério em palavras cotidianas. Mas, mistérios existem para serem desvendados, e cabe a cada um de nós, adultos, vivendo a urgência da necessidade de ampliarmos a consciência humana em todas as áreas, ampliarmos nossa compreensão sobre o sexo, através de uma nova educação sexual.

A vida nos ensina, que para poder iluminar as mentes sobre sexo, é preciso ser sábio de fato. Ora, quem se atreverá a considerar se sábio neste mais profundo mistério. No entanto de forma muito cuidadosa elaborei um curso para educadores voltado a compreensão social do gênero e da sexualidade, afinal educar para o amor, para o afeto e para a sexualidade é uma das tarefas mais necessárias em nossa época. Você não acha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *